25 junho 2006

Transporte pesado

Este fim-de-semana, transportei algo bastante pesado.

O meu pai pediu-me ajuda, para transportar algo da Igreja Matriz para uma casa adjacente, pois viu em mim as características necessárias para o fazer. Quando vi o que era fiquei tenso. Era fácil de transportar mas eu não estava seguro. Pelo caminho esperavam-me escadas, portas, mais escadas e mais portas.

Iniciei o transporte e senti então o verdeiro peso do que transportava: o peso da responsabilidade. O que estava a transportar era algo que toda a gente conhecia e que toda a gente adorava. Não podia falhar.

Quando coloquei a imagem/estátua de Nossa Senhora de Fátima no seu lugar, que felizmente coincidia com o seu destino, sorri. "Afinal não é assim tão pesada", pensei.

Esta situação fez-me lembrar dos meus 12 anos, quando o meu pai me deu 20 contos para pagar o instituto de línguas. As notas quase não me cabiam no minúsculo bolso das calças! Lembro-me de fazer o trajecto a pé, muito atento aos comportamentos das pessoas com que me cruzava, à procura de algo suspeito, para poder libertar a adrenalina e correr o mais que pudesse! Nessa idade, era uma quantia milionária!

Género "Pessoal"

Enquanto não mudar de ideias, este blog é pessoal.

Um blog tem de ter um propósito. Não tinha muito por onde escolher: um blog de escalada seria a alternativa, mas como estou lesionado, não me sinto motivado para tal. Por outro lado, um blog de escalada teria um âmbito demasiado pequeno, fazendo com que posts sobre assuntos pessoais parecessem deslocados.

Não tenciono fazer disto um diário, mas sim blogar aquelas situações que marcaram o dia, aquilo que mais tarde valha a pena recordar, aquilo que acontece na minha vida que pode ter algum valor para quem lê, quer através do entretenimento que o post pode trazer, quer pela experiência relatada.

Onze dias depois do nascimento, o blog amadurece.

23 junho 2006

Post Útil

.

21 junho 2006

Post inútil

Tenho alguns minutos para escrever qualquer coisa. Sinto um impulso para escrever algo de útil, de criativo ou de interessante. Mas não vou conseguir. Não consigo. No entanto continuo a escrever e tenciono, no final, publicar este post, para me lembrar das dificuldades de criar conteúdos.

Num caso destes eu preferia estar calado a dizer asneiras, mas como tenciono mudar essa postura, um post é um bom começo.

Espero não estar a tender muito para o género desinspirado que, de momento, conta com mais posts no blog que qualquer outro.

Apenas 2 dos 7 posts deste blog não estão relacionados com o blog em si. Tenho de inverter essa tendência... para meu bem e do blog.

20 junho 2006

Blog Verde... a Amadurecer

A indefinição de género do blog perturba-me. Um blog homónimo ao seu blogger é um espelho do seu autor. Como (ainda) não me identifico com o blog, tomei a minha primeira medida drástica: este blog passa a ser anónimo!

Espero que o anonimato me liberte.

Ser ou não ser?

Isto de ter um blog é complicado. Este processo de definição de género é algo que pode gerar alguns posts gratuitos, mas ontem eu estive a pensar...

Será que todos os bloggers passam por esta indefinição?
Será que alguém cria o seu primeiro blog e já sabe o que vai lá escrever?

A resposta a esta pergunta está nos imensos blogs e posts sobre o que escrever em blogs, o que não escrever e como o fazer! Existe uma certa dificuldade por parte dos bloggers em gerar informação para um blog e isso é devido à falta de inspiração ou à inutilidade do blog.

É deste último caso que eu tenho medo. De estar a gastar o meu tempo a produzir inutilidade!

Esta ideia da escolha de género é boa para manter o blog activo, mas a que preço?

19 junho 2006

Pessoal - Para começar bem...

Pronto, já está!

Escrita descontraída, fluidez no pensamento e cá temos um post típico de um blog diário!

Sem pensar muito no que vou dizer a seguir, posso contar a todos os que se interessam por estas coisas, que vou para casa! Vou lavar a roupa, arrumar o quarto e fazer o jantar. O meu pai vem cá amanhã para me levar umas tralhas para casa e aproveita para conhecer a casa, por isso é bom que esteja arrumada.

Tenho de ver o que se passa com a minha saúde. A pele das mãos e pés está demasiado seca (falta de magnésio, será?) e a tosse não me larga! Já lá vai uma semana...

Vou para casa que já trabalhei 10h hoje

Que tipo de blog é este?

Boa pergunta. Aqui vão as hipóteses:
  1. Pessoal, parecido com o habitual diário: "Hoje almoçei bife e batatas fritas na cantina e estou com um uma tosse muito seca!"
  2. Escalada, onde coloco fotos e notícias das últimas actividades: "O encontro de Sagres foi fabuloso! Encadeei um 7b (Glaucoma) na Armação Nova à segunda tentativa e o Psico-Bloc foi de loucos!!"
  3. Humorístico, com piadas novas todos os dias: "Este blog tem graça ou não tem. E vice-versa!"
  4. Crítico, opinando sobre o que me vai na alma: "A dependência dos portugueses pelo futebol deixa-me preocupado!"
  5. Fotográfico, mostrando ao mundo uma foto minha todos os dias (ou todos os meses...)
  6. Desinspirado, em que a frase mais postada é: "Hoje não sei o que escrever..."
  7. Tecnico/Tecnológico, onde são publicados artigos relacionados com informática e notícias do mundo dos computadores: "Microsoft vai lançar rivais de iPod e iTunes!"
  8. Poético, baseado em bonitas quadras:
"No cimo daquele monte
Vou contruir um castelo,
Para tu me contemplares
Como eu te contempélo."

Acho que, para começar, vou escrever uns posts de cada um dos géneros acima mencionados. Identifico o género no título, para que não confundam o poético com o humorístico, por exemplo...

Peço desde já desculpa pela misturada que irá aparecer, mas certamente que a minha vocação me irá conduzir para um dos géneros apresentados. Se a misturada for harmoniosa, mudo o nome do blog para "Misturada Harmoniosa" e sigo a mesma estratégia!

16 junho 2006

Ponte

Estas "férias" estão a ser condicionadas pelo tempo - aquele das núvens - pois o outro tempo - o do relógio - é o suficiente para fazer grandes planos. São 4 dias de repouso absoluto: comer, dormir e ver televisão.

Enquanto chovem ovos, batatas e castanhas em forma de gelo pelas (agri)culturas do nosso país, eu fico a repousar sentado nesta ponte laboral, em vez de a escalar ou me atirar dela, num qualquer desporto radical, como seria normal.

Não tenho razões para ficar triste com o mau tempo. Estou a recuperar de uma pequena lesão que me limita as actividades desportivas e que, segundo o ortopedista Domingos Estrela do hospital de Aveiro, "só acontece nos filmes". (Não tenho muita sorte com os médicos!)

Portanto, enquanto aguardo um contacto de Hollywood para fazer de duplo do Mel Gibson em "Arma Mortífera", vou aproveitar estas "férias" e colocar as minhas obrigações em dia e planear, projectar e organizar o futuro próximo, não próximo e o que já passou. (respectivamente).

14 junho 2006

Nascimento

Dei à luz um blog!

Muitas visitas e muitos posts de vida ao meu blog.