06 março 2011

ASEstrela 2011

Depois da "excelente" experiência do ano passado, voltei à Serra desta vez com a Isabel e a Claire para um fim-de-semana de montanhismo.


A nossa tenda montada em cima da neve

Se no ano passado a neve só apareceu no último dia, este ano foi ao contrário. Apareceu no primeiro e quase nos deixou no último. Por isso a tenda ficou montada em cima da neve, o piso mais fofo para dormir. Acho que deviam inventar colchões de neve! Qual molas ou latex, a neve é que se adapta ao formato do corpo na perfeição e deve ser 100% anti-hipo-contra-alérgica...


Passeio a pé até à Torre

Chegámos já depois da meia noite, depois de uma subida stressante da Serra, pois tinha começado a nevar intensamente. Dormimos aconchegados e depois de um pequeno almoço quente (que incluiu uma canja de galinha) saímos do Covão d'Ametade para um passeio. Como o tempo não ajudava e a visibilidade por vezes era nula, a única hipótese foi a seguir a estrada até à Torre.


O nosso lanche depois da "caminhada"

Não chegámos à Torre (já o sabíamos) mas ficamos com a fome necessária para fazer um belo lanche no "acampamento". Afinal de contas, era esse o objetivo principal. Esse e fazer um boneco de neve!


Eu e o Abominável Boneco das Neves

Nunca tinha feio um "a serio". Como se faz um boneco de neve? Fácil: fazem-se umas bolas e tal... Errado. Já ouviram falar certamente do efeito "bola de neve"? Ora, se fizerem uma pequena bola de neve e a rebolarem pela neve, ela vai crescendo, crescendo, crescendo até ficar do tamanho desejado! Nunca tinha comprovado a teoria por detrás da expressão mas a verdade é que resulta mesmo.

O verdadeiro efeito "bola de neve"

Bom, mas deixemo-nos de brincadeiras e vamos ao montanhismo. No Domingo integrámos a grandiosa caminhada organizada pelo ASEstrela. Imensa gente cruzou a Serra num dia de pouco sol, muito frio, mas boa visibilidade.


Fila indiana montanha acima



Eu e a Isabel estávamos bem preparados, com impermeáveis e botas. Bem agasalhados. Mas a Claire, a couch surfer a quem oferecemos talvez um dos piores "sofás" da história do CouchSurfing, não estava propriamente preparada.


As "botas" de montanha da Claire

 Ela veio para um mês de férias por Portugal, trazendo apenas duas pequenas mochilas e apenas o par de sapatilhas que trazia calçadas nos pés. Claro que esse foi o calçado de cidade, montanha, neve e até escalada (como vão ver mais à frente) que ela utilizou. Foi uma epopeia para ela, mas a julgar pela sua cara, não se arrependeu!

Claire na Serra da Estrela

 De resto a caminhada foi tranquila, muito bonita, algo exigente técnica e fisicamente, com uma descida complicada com muita neve e algum gelo, e com uma subida final de volta ao Covão d'Ametade que partiu completamente o pelotão.

 Todo contente, de barriga cheia, depois do almoço ali atrás

 Isabel no fundo do Vale de Manteigas, na derradeira tentativa para que o pelotão se juntasse antes da subida


Não ficamos para jantar. A Isabel tinha de trabalhar no dia seguinte. Eu e a Claire optámos por ir escalar para Poios. Por isso partimos antes do sol se pôr.

Depois de uma viagem foi penosa e de uma noite muito bem dormida no fabuloso Santuário de Nossa Senhora da Estrela, na Redinha, lá nos juntamos ao Jorge Martins a um "autocarro" de escaladores vindos de Braga! Eram mais de 30!

Reconhecem alguma coisa?

A única foto de registo, para provar a polivalência (e já o mau estado) do único par de sapatilhas que a Claire trouxe para Portugal, para o seu mês de férias. Força Claire!

2 comentários:

Isabel Marques disse...

como sempre, só sabes passear com gajas!

Viagens pelo Brasil - Conheço essa cidade disse...

Parabens pelo blog e pelas fotos. Gostamos demais.
http://nossasviagenspelobrasil.blogspot.com/